EscorpiãoClassificados como aracnídeos, os escorpiões são animais invertebrados artrópodes que apresentam o corpo dividido em tronco e cauda. Geralmente, são animais discretos que, durante o dia, se alojam em esconderijos como tronco de árvores, pilhas de madeira ou tijolos, cercas, sob pedras, cupinzeiros, entulhos, mato, lixo, frestas nas paredes, saídas de esgoto, ralos, caixas de gordura, sapatos e tolhas, e durante a noite saem para caçar. Seu ferrão chama-se aguilhão e está localizado na ponta da cauda. Conseguem sobreviver até dois anos sem se alimentar. Em relação à alimentação, ingerem preferencialmente grilos, baratas e moscas. Segundo alguns estudos, os escorpiões foram os primeiros artrópodes que dominaram o ambiente terrestre e atualmente tem-se conhecimento de aproximadamente 1600 espécies no mundo.

Existem dois gêneros da espécie que merecem atenção. São eles:

  • Escorpião amarelo: É encontrado nas regiões nordeste, sul e sudeste, precisamente em Santa Catarina, Minas Gerais, nas regiões do Vale do Paraíba, Rio Preto e na capital do Estado de São Paulo. Com tronco de cor escura e patas e cauda amarelos, pode atingir até 7 cm de comprimento. De hábitos noturnos, é facilmente encontrado em ambientes urbanos, vivendo em terrenos baldios e antigas construções.
  • Escorpião marrom: Encontrado nos mesmos locais que o escorpião amarelo, incluindo Mato Grosso e Santa Catarina. Em São Paulo sua presença é bastante comum nas regiões do Morumbi, Pacaembu e ao longo do Rio Pinheiros. Sua cor varia de marrom-escuro a marrom-avermelhado com manchas escuras. Vivem em campos, matas ralas e fendas de barrancos.

Lacraias

Quilópodes (corpo dividido em cabeça e tronco, formado por inúmeros segmentos com pares de pernas articuladas em cada um deles). Podem ser encontradas em qualquer lugar, inclusive em ambientes úmidos sob folhas, pedras e troncos podres. São caçadores noturnos, se escondendo durante o dia em hortas, entulhos, vasos, xaxins e sob tijolos. Seus exemplares chegam a medir 23 cm. Seus ferrões ficam localizados na parte debaixo da cabeça. As lacraias se alimentam de insetos, lagartixas, camundongos e filhotes de aves. Seu veneno não é muito tóxico, ou seja, os acidentes causados pela picada no homem são de baixíssima gravidade. Quando ameaçadas, levantam a cauda.

Lagarta Sobre FolhasLagartas 

As lagartas, também conhecidas como taturanas, são as formas larvais da mariposa. Os megalopigídeos, que são aquelas lagartas “peludas”, geralmente não são animais agressivos e podem medir de 1 a 8 cm de comprimento. Possuem “pelos” longos e sedosos de diversas cores que funcionam como verdadeiros camufladores das verdadeiras cerdas pontiagudas e urticantes, onde ficam as glândulas de veneno. Ao encostar-se em uma lagarta (em um tronco de árvore, por exemplo), e consequentemente em suas cerdas pontiagudas, o veneno contido nos “espinhos” é injetado na pessoa. Dentre as diversas espécies na natureza, a Lonomia não possui pelos, mas cerdas urticantes em forma de espinhos verdes distribuídos por todo o dorso, sendo esta a mais perigosa, podendo causar graves acidentes e até a morte. São encontradas em árvores (troncos, folhas e gravetos).